O Invisível pode nos matar

O teu reflexo

Cabe em minha íris dilatada

Mas tu não és teu reflexo em mim

A minha miopia

Não é o limite da tua existência


O que não cabe em meus olhos

Transborda quando te sinto dentro de mim

Eu sempre choro

Meu ego desfeito


Tudo o que não vejo

Não é o nada

Tudo o que não vejo

É tudo o que não vejo diante de mim

Como a oração

Como o beijo

Como o mar mergulhado de cabeça


Ai, Vida

Como é intenso te amar

Além da primeira vista

De corpo inteiro

É inevitável

Não me despedaçar


Num piscar

A ignorância poderá nos matar

No raso dos próprios olhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s